11 de nov de 2009

ACIONE O BOTÃO!


Proponho que você aperte o botão do foda-se.
Nada de ficar doente porque seu chefe não entende suas limitações; Nada de se preocupar porque existem muitos carros e o transito se complica cada vez mais; Sem essa de se martirizar por não ter dinheiro para comprar roupas novas; Pra que esquentar com as contas se você não terá como pagá-las por enquanto?; Aperte o botão do foda-se amigo, e não esqueça de juntar aquele monte de gentinha ignorante que te cerca no dia-a-dia, jogar na descarga e apertar o botão também.
Ótimo! Botão acionado! Você se sentirá muito maior do que se sentia, conseguirá enchergar as pessoas que realmente interessam, passará a entender melhor você mesmo.
Seja mais você, não siga líderes, seja seu próprio líder; Não dê bom dia a toa, deseje bom dia realmente pra quem merece, não cumprimente por obrigação; Não deseje o que não é seu; Acredite em Deus, mas não siga religiões; Faça amor, mas faça sexo também, dance, cante; Faça suas leis e as siga; Seja leal primeiramente com você, depois com as pessoas que são importantes pra você; Proteja a natureza, mas não vire ativista; Defenda uma causa, mas não vire escravo dela; Desejo que você tenha quem amar, que tenha amigos pra se divertir, que tenha um Deus pra te protejer.
E foda-se tudo aquilo que te incomoda.

1 de jun de 2009

Felicidade Realista - por Martha Medeiros


A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre; queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema; queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco-estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor.....não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. isso é pensar pequeno; queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e nãode outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.
Ter um parceiro constante pode ou não ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção, quem tem precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufru-i-lo, não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.
Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar.
É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se demasiadamente.
A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a.
Se você não está de acordo com as regras, demita-se.
Invente seu próprio jogo.

Sonhos - por Dário Monteiro



Quando eu era um menino, de bermuda, chinelos; quando eu era um menino, um espaço, uma vida; quando eu era o eu sou, eu vou, voltei.
Quando eu vou não tem volta, quando eu volto, nunca o mesmo.
Se você pudesse me entender.....
Claro! só nós não vimos, estamos presos, vamos nos soltar, pule, voe, voe mais alto, o mundo passa por dentro de nós, grite!
Eu não era, eu sou, você também pode ser e será, somos livres, partículas do corpo vivo de Deus, somos gametas, cometas, estrelas, constelação, sonhos.
Somos o sonho que nunca termina, pois sonhos não morrem; se concretizam ou se frustram, mas nunca morrem.
Lute, levante, cresça, permaneça.
Se eu era é por que não sou mais; se cresci, venvi etapas; se não morri, não terminei a missão; se não terminei a missão, continuarei lutando, pois o sonho não acabou.

25 de mai de 2009

Viva a vida, mude o planeta! - por Dário Monteiro


Sonho em ver a igualdade social, a defesa pública funcionando, em ver as crianças estudando e brincando e sendo respeitadas, sonho em ver as etinias unidas, os animais protegidos, as pessoas alimentadas, a natalidade controlada, os mais velhos sendo respeitados, os presos trabalhando, os rios limpos, o lixo reciclado, o trabalhador sendo bem remunerado e não escravizado, sonho com um povo educado, consciente, realizado.

Se vc achou que é muito difícil ou impossível termos um mundo assim, cuidado! Você pode estar fazendo parte dos que já desistiram, e isso só agrava a situação! Pense nisso!

21 de mai de 2009

CQC - O melhor programa da TV brasileira!

Finalmente temos um programa humorístico, feito com muita inteligência e competência na televisão brasileira, é o CQC – Custe o Que Custar. O programa vai ao ar desde 17/03/2008 pela TV Bandeirantes, todas as segundas-feiras a partir das 22:15 com reprise aos sábados, a partir das 23:45. O projeto criado pela produtora Argentina Quatro Cabeças e acertadamente trazido para o Brasil pela Band, já recebeu inúmeros prêmios, entre eles o importante prêmio da A.P.C.A. (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Marcelo Tas, Rafinha Bastos e Marco Luque comandam o programa do estúdio apresentando os fatos da semana através de quadros como: Top Five, CQTeste, Proteste já, Palavras cruzadas e a cobertura de eventos de todos os seguimentos da sociedade, para cada matéria é designado um Homem de Preto: Danilo Gentili, Felipe Andreoli, Rafinha Bastos, Rafael Cortez, Warley Santana e Oscar Filho.

Parabéns!

20 de mai de 2009

Anjos Caídos - por Dário Monteiro


Hoje me encontrei perdido na solidão do meu pensamento, pensamento que levo cativo a outros tipos de pensamentos e solidões, pensamentos distantes de outros mundos, outras vidas, de pessoas que vivem sua solidão pessoal, introspectiva, sofredora e as vezes até desesperadora.
Leio tantas histórias malucas no rosto das pessoas: medos, desejos, dores, ouço choros.
Encontrei vidas inteiras em pedaços de papéis, dentro de mochilas, nas ruas, nas estações, trancadas em apartamentos, dentro de quartos bagunçados, expostas em roupas penduradas nos varais.
Talvez a vida seja um paraíso, mas as pessoas vivem como anjos tristes dentro deste paraíso, frustradas com suas asas cortadas.
Nesse paraíso, os arcanjos, querubins e serafins (os que detem o poder) são egoístas, individualistas, egocentricos e crueis. E nós, os pequenos anjos de asas cortadas, esperamos a chance de alcançar a misericórdia e o perdão pela nossa impaciência, fraqueza, ignorância e falta de oportunidade.

--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--X--

Sistema é tudo aquilo que te inibe, que te transforma no que você não é, tira sua liberdade de se expressar e pensar. Liberte-se!

Narrando com o coração - muito engraçado, veja!

19 de mai de 2009

Mutante no novo mundo! - por Dário Monteiro


Hoje, pai e chefe de família, olho para trás no tempo e me lembro da época do Punk Rock, do Heavy Metal, do patins, do skate, bicicross, do new wave, dark, dos shows, das tatuagens.....quantas tendências, quantos estilos diferentes em uma única pessoa, quantas histórias loucas de sexo, drogas e rock n roll que vivi, que até me assusto.
Acredito na mágica da vida e respeito a força do tempo, ouvia minha avó e depois, minha mãe dizer: "No meu tempo..." e achava graça. hoje me pego dizendo isso pro meu filho e me remeto ao passado no mesmo instante; que loucura esse negócio de tempo.
Tenho saudade da minha adolescência, dos meus discos de vinil, do meu quarto cheio de posteres na parede, do violão, da praça.
Saudade da inconsequência, da falta de medo, das madrugadas malucas.
Hoje muita coisa mudou, muitas bandas acabaram, meu quarto já não tem o mesmo cheiro, as paredes já não impressionam tanto, agora eu tenho medo!
Compro um cd e não sinto o mesmo tesão que sentia quando comprava um disco, na verdade nem compro, baixo da internet.
O Raul morreu, o Chico também, as cartinhas viraram scraps e a vida segue, nessa loucura que é a evolução, as pessoas não leem mais, preferem aquilo que é prático, visual e rápido, estamos correndo contra o tempo, sem perceber, que o tempo nos envelhece e deixa saudade.
Hoje.....ahh hoje sou mais uma pizza e um bom programa na TV!

Prostituição - por Dário Monteiro


Abriram-se as cortinas.
No olhar dela, um misto de loucura, desejo e mistério.
Estava embriafgado na luxúria e no desejo.
O cheiro era de jasmim, florais, não sei mais, as vezes o cheiro vem à minha mente como que semente que se faz presente.
Se naquele momento pudesse desvendar seus pensamentos, talvez, ela nem pensava mais, estava ligada no automático para que fosse menos traumático.
Ela precisava ser desejada, isso diminuiria sua culpa.
Ela precisava dar gargalhadas, isso esconderia sua dor.
Desejei cada centímetro de seu corpo, queria ser seu dono.
Paguei para tê-la por alguns instantes, descobri sonhos, sentimentos, frustrações, ela era um objeto com alma, uma alma corrompida pela fraqueza, uma criança sem colo, sem infância, uma mulher desrespeitada, invadida.
Perguntei o que ela fazia alí, não soube me responder e para sair daquela situação, me fez a mesma pergunta, seguida de um silêncio inconsciente que resumia tudo:
Ela não merecia estar alí e eu também não.

17 de mai de 2009

Quando - por Dário Monteiro


Quando eu sentir a pureza de ser o filho, quero ser o pai para merecer isso.

Quando a sereia no mar cantar chorando, quero estar na pedra nú me amando.

A luz que ofusca meus olhos na escuridão, nada mais é que, meu próprio espírito em evolução.

Não. não vou chorar sem saber, pois o trem já deu partida pra um destino incerto; que pare onde quiser o trem! eu só quero que nessa saudade que conheço bem, tenha você sempre por perto.

Quando soltar minha voz no íntimo do meu labirinto, quero sentir cada célula do meu corpo fluindo.

É hora de descobrir a felicidade da lágrima, de reparar na beleza das favelas, é hora de agir, de crescer, de se gostar e de se valorizar.

Que meu anojo da guarda, seja eu mesmo, que o sonho de ter você seja eterno.

Tente se ocultar das trapaças da vida, tente se doar pra se sentires vivo, tente se manifestar, tente se interiorizar, pra quem sabe.....quando!

Essência - por Dário Monteiro


Eu sei que os passos apressados que dei, não voltarão a existir em meus sonhos.

Eu sei que as palavras amargas e asperas que disse diante do espelho, naquela tarde fria de outono, não farão eco no meu sentimento de culpa, nunca mais.

Os olhos sempre atentos e o pensamento ativo me indicam o caminho a seguir.

O coração muda o compasso mas a essência é sempre a mesma.

As virtudes, os defeitos, as roupas que não servem mais, o desejo que não quero mais sentir, tudo já passou.

Hoje eu quero ouvir o barulho estridente da minha rebeldia, hoje eu quero bagunçar o meu quarto e descobrir a minha alegria, basta um gesto, um sorriso, uma palavra: te adoro, te amo....que nada! seus olhos falam muito mais, meu silêncio fala muito mais.

A espada que sempre desejei e lutei pra conseguir como um guerreiro templário sem escrúpulos, não me deu os poderes que imaginei, era apenas uma espada. Deus me disse muito mais, minha loucura me ensinou muito mais.

Desejo de prosseguir? sempre!

Coragem pra resistir? muita!

Um Deus pra acreditar, um lugar pra sempre voltar, um cálice pra me embriagar, alguém pra confiar, você, a lua, o sol, o mar.

Agora já sei quem sou, amanhã não sei se vou saber, se vou querer, se vou dizer.

Silêncio - por Dário Monteiro

Espelhos no deserto frio
Gélidas flores de outono
O cão parece estar no cio
E o homem de capote negro caminha na rua dos mendigos

No precipício agora caio
No meio da viagem insólita sergem-me asas de borboleta
Bebi vinho e senti o teu gosto
A calêndula tem o cheiro do teu sexo
Seus olhos brilham na escuridão do meu pensamento

Os parentes estão morrendo e o filho está chegando
Caminho com os pés da morte
Em busca de uma terra prometida
As nuvens se espalham e o sol nos queima forte

Bebi o veneno da serpente e senti o meu gosto
No cheiro forte do meu sexo transparece teu rosto
No cálice vermelho da luxúria, sinto o calor do fogo
e na boca molhada de desejo sinto-me inteiro

Todos os mistérios foram desvendados:
Te amo e me desejo!

O nascimento do Blog


Retornando a um projeto iniciado em 1994 intitulado: "O cravo brigou com a Rosa", rendo-me ao poder fascinante da internet para lançar este blog inicialmente batizado de "Poesia Arte e Pensamento".



Na época em que escrevi o Cravo brigou com a rosa, em formato de fanzine xerocado e despachado pelo correio, nem imaginava que um dia estaria digitando um texto no computador e diponibilizando num espaço pré-programado para que milhares de pessoas tivessem acesso. Isso pra mim é chapado, consigo vislumbrar o poder da tecnologia com muito mais profundidade que a mulekada que hoje já conhece tudo isso pronto.

Na época tinha como parceiro o Douglas Tattoo, que produzia o Zine Subformal, hoje transformado digitalmente no Zine Gaveta, parceiro de longas datas que indiretamente me inspirou a retornar à escrita pensante, das poesias e loucuras perdidas no subconsciente da paranóia humana.

Dito isto, vamos à obra em sí..........apertem os cintos, esperem que gostem e participem!